segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Saudosismo besta





Tem um movimento facebookitico me incomodando muito nos últimos tempos, aliás dois, mas hoje quero falar de um só, especialmente e atrasadamente um oferecimento ao dia das crianças.

Vocês já viram umas fotos como essas?






E tem várias outras com fotos de fita K7, falando de banho de mangueira, e sobre os brinquedos de antigamente como aquele de pescaria, bonecos e etc.



A minha questão é, só porque a infância foi sua ela é melhor do que a dos outros?
Só porque as crianças agora tem PS4 elas são infelizes em relação a você?























Eu não tive a maioria dos brinquedos da época, lembro de todos quando colocam fotos, mas meus pais não tinham dinheiro pra comprar. Fui feliz da mesma forma, mas isso também não quer dizer que quem teve foi menos ou mais feliz do que eu.

Se você é desses que acham que "a infância atual" é uma bosta, sorry, mas eu acho isso um pensamento muito ridículo. E acho mais ridículo ainda isso de ficar provando que a infância foi mais legal porque você teve um boneco do lango-lango.

Ah, e que besteira é essa de dizer: tomei banho de mangueira e sobrevivi? Oi? Era pra morrer? Tinha mais adrenalina nas brincadeiras de 90? Que eu saiba roleta russa não fazia parte não.


Um beijo pro meu pai, pra minha mãe e especialmente pra você, que deve achar que era mais divertido assistir Xuxa do que os programas atuais. SMAAAAAACK!



P.S.: Sobre a bulinági nem falei aqui que ela merece um post de revolta próprio.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Senta e Sinta

Nas férias de Julho do ano passado fui pra Inglaterra e fiquei 20 dias em Londres, não planejei lugares aonde ir, nem fiz agendinha de turista, comprei um mapa da cidade em uma banca de jornal e todos os dias saia a pé com o mapa descobrindo lugares. Em um desses passeios cheios de acaso andei, andei, andei e "esbarrei" na National Gallery.

National Gallery.JPG

Eu já havia passado em frente e me prometido passar lá com calma pra ver todas as pinturas, mas neste dia descobri que o prédio tinha um anexo e por isso duas fachadas, a que eu já tinha visto era de um prédio antigo desses bem gostosinhos e atraentes, a que eu esbarrei era uma fachada bem moderna e seca mas muito bonita também.

NG1.JPG

Entrei ora pois.

Lá dentro quase enfartei, a galeria tem um pé direito alto, pilares em mármore e pisos trabalhados, tudo isso muito bem agraciado com iluminação natural.

NG2.JPG

Imponente é a palavra.

Andei, andei, andei e nem olhei o catálogo ou li sobre o quais pintores espetaculares estavam ali. Comecei a me perguntar se eles teriam “alguma coisinha" do Van Gogh. Passei por pinturas espetaculares de pessoas espetaculares como: Jan Van Eyck, Cézanne, Renoir, Monet e Rembrandt, que conseguiram me provar o porque de estarem nos nossos livros de história da arte e foram tão marcantes em seus respectivos "movimentos artísticos". Alguns quadros eram além de lindos ENORMES, com um milhão de detalhes que eu nunca conseguiria ver nos livros, mesmo que estivesse usando óculos.Isso porque eu nem estou falando nas cores... ( cor não foi feita pra falar, ? E sim ser vista e sentida ). Foi exatamente quando eu esqueci meu questionamento que entrei em uma das salas e me senti uma mocinha tímida e apaixonada. Olhei pra esquerda mas virei o rosto rápido com o coração acelerado, resolvi começar a olhar a sala pelo lado direito, pra ter tempo de controlar meu coração que não quis colaborar e me fez ficar tremula, a situação piorou bastante em cada um dos meus passos, pois eu sabia que ele estava bem perto de mim, não percebi os quadros que passaram por mim, quando eu finalmente parei e pisquei, lá estava:

vincent_willem_van_gogh_128.jpg

Os girassóis, e eu em baixo com os olhos úmidos.


Confesso que esperava cores mais brilhantes no quadro, mas justamente por ter cores com carinha desbotada ( olha eu descrevendo o que falei que não era pra ser descrito ) me impressionei muito mais. Nunca pensei que cores tão claras teriam tanto impacto sobre mim. As pinceladas eram bem marcantes e expressivas, definitivamente o moço conseguia se fazer sentir através da pintura.É claro que os sentimentos dele provavelmente não eram nem de longe parecidos com os meus, ou talvez sim, nuca saberei. E é exatamente isso que torna a arte uma coisa tão atraente, a possibilidade de unir processos , momentos e pessoas completamente diferentes e ao mesmo tempo não tão completamente.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Companheiro


Sem você meu mundo era manchado.
Eu não conseguia me focar em coisas importantes e
muito menos em coisas pequenas como detalhes.
Sem você minha vida não tinha contornos e minha visão era embaçada.
Depois que entrou em minha vida tudo se transformou.








**** Na verdade ainda não sei ter você.
Invariavelmente esqueço que está presente e passo as mãos
aonde não devo. Você fica sujo e embaçado, não me orgulho
em dizer que você que tanto fez e faz, por mim é maltratado.


Perdão meus óculos.


Alone in the Dark


Quando se começa a morar sozinho o café da manhã é promovido de refeição mais importante para a refeição do que tem.
Pode ser batata frita, pizza dormida, pipoca murcha ou sorvete, não importa.
A única condição é que seja algo que seja algo que já esteja pronto ou que fique pronto depois de 2min no microondas.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011




Ano novo é uma data que costuma ser vista como um feriadinho muito mais divertido do que o Natal.

Algumas pessoas dizem que precisam passar na praia conhecer alguém e beijar na boca, pra "começar bem o ano". Outras até pagam mais de R$100 para entrar numa festa com "tudo liberado" TUDO NHAM.

Minha virada de 2010 pra 2011 foi ótima, mas a digna de ser contada aconteceu em viradinhas passadas....

Era uma vez eu. Eu e duas amigas delícia, combinamos de fazer uma festinha casa de um terceiro, com comida joguinhos e piada, bem light pra todo mundo ser feliz humildemente.
Aconteceu que no dia 31 a pessoa gentil resolveu cancelar nossa festinha humilde.
E agora José?
E agora que resolvemos procurar uma festinha que custasse no máximo R$10 até porque o dinheiro que já não tinhamos antes virou comida pra nossa ex-futura-festinha que estava cacelada.

O tio Google ajudou e encontramos uma festinha longe pra cacete que custaria só R$10.

Partimos felizes, lindas e belas em direção aos festejos, mulher é enrolada, nós somos mais, saímos depois de 23h e alguma coisa. O ônibus demorou sééééculos e como eu tenho uma ligação carmica com esse tipo de transporte urbano é claro que a passagem mágica que acontece 00h aconteceu lá dentro. =/
Mas ok, não nos abalamos alguém do grupo tinha levado uma garrafa de pseudo chapanhe abrimos lá dentro dividimos com o cobrador e não abandonamos o clima de felicidade.

Descemos do ônibus e só um integrante do grupo afirmou saber como chegar no lugar tá festinha barata. Confiantemente todos os outros integrantes o seguiram por uma rua danada de estranha. No meio da rua tinha um terreno baldio desses bem baldios mesmo. De acordo com o guia deveríamos passar por este terreno baldio cheio de mato e com um quiosque abandonado no meio.

A gente semos machas e resolvemos passar por lá só pra não dar a volta na rua. Tinha uma trilhazinha fubica no meio da mato e seguimos por ela em fila indiana, até que: ouvimos latidos de cachorro, que alguns já sabem que asssustam desde muito nova, quem não sabe pode ler aqui, e a primeira pessoa da fila indiana gritou gentilmente pra todos os que vinham atrás:


- CORRE que é pitbul!



Não somos bobinhas, ao contrário somos muito obedientes e corremos bem a beça, por medo de não dar tempo de correr pra algum lugar seguro subimos esbaforidamente no tal do trailer abandonado que estava lá no meio.

Os cachorros não se aproximaram muito, mas no escuro só podíamos ver o vulto e ouvir os latidos.

Foi um momento lindo, pensamos que ficaríamos ali pra todo o sempre com os cães enraivecidos a nossa volta. Mas com o passar do tempo os cachorrinhos se afastaram um pouco e ficaram mais calminhos, e nós bravamente decidimos tentar sair devagar no sentido contrário ao que os cães estavam, fui meio relutante em descer do santo trailer, acabaram me convencendo quando alguém prometeu que ia segurar minha mão pra me transmitir vibrações de coragem e acabei sendo uma das primeiras pessoas na fila de volta.

Na metade do caminho de volta surgiu outro grito gentil:

-Cooorre que eles estão voltando!


É claro que corremos pra caramba. E no meio da correria encontramos uma igreja MUITO chique, com mulheres de vestido longo segurando taças de cristal. O portão da igreja estava fechado, subimos na grade e gritamos em desespero para que abrissem o portão da salvação.

Entramos esbaforidamente tropeçando nas moças chiques e nas crianças com carinha de capa de revista, quando o portão foi fechado nas nossas costas, os cães chegaram latindo atrás, e na claridade todos da igreja riram de nós, eram vira-latas que abanavam o rabo....



- Olha aí seu pitbul...

O moço que havia aberto o portão pra nós abriu o portão de novo, bateu o pé no chão e os cães sairam correndo.


Não sei como não matamos quem disse que o cão era pitbul, mas o importante é que sobrevivemos, na verdade chegamos molhadas de suor na festa pra descobrir na porta que esquecemos a identidade em casa.... mas isso já é outra história.



Feliz 2011!





sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Berinjela Natalina


Rou-rou-rou!
Berinjela de Natal pra vocês!


O causo é o seguinte:

A mocinha foi passear com a mãe em uma bucólia cidadezinha nas proximidades do Natal.
Cidade bela, toda enfeitadinha no espírito, bolinhas vermelhas, neve falsa e renas laranjas.





Em determinada parte "importante" da cidade havia uma Vila do Papai Noel, uma graça!
Casinha pequena, com uma árvore gigante, Mamãe Noel na porta. Bicnhos automáticos que só mexiam a cabeça. E é claro um calor do capeta, por ser verão no Brasil.

Passeando pela vila, avistaram ao longe um belo Papai Noel sentadinho e imóvel, pensaram que o boneco estivesse estragado, mas resolveram ser educadas e cumprimentaram o Noelzinho.

- Oi, Papai Noel!

Ele levantou a mão e acenou de volta dizendo feliz natal.




A mocinha e sua mamãe ficaram tão desconcertadas e surpresas por ser um Papai Noel "DEVERDADE"

Que tiveram uma crise de riso convulsivo. Riram tanto e NA cara do Papai Noel que além de suportar o calor com aquela linda roupa teve que aguentar um riso histérico e aparentemente sem motivo por uns 5minutinhos até ficar bem irritado.

Temendo por suas vidas, as belas moças resolveram chispar dali, ainda rindo.
Chegando na porta da vila do papai noel, alguém teve a idéia de beber água para aliviar
o animo e acalmar o riso que continuava a querer brotar de dentro e dominar o mundo.

Quem sabe me dizer o que acoanteceu?

É claaaaaaaaaaaaaaro que a água não resolveu o problema e ao contrário conseguiu fazer um
estrago ainda maior. Quando a mocinha encheu a boca do líquido transparente, a imagem do
surpeendende papai noel "verdadeiro" resolveu encher seus olhos novamente, e aí a água que morou muito bem no copinho foi cuspida pelo belo carpete vermelho. Mas não foi só isso,
levano em conta que a duplinha era turista nada mais óbvio do que saber que elas tinham passado o dia comendo todas as besteirinhas que pareceram ser apetitosas e logo que a água passou a morar no tapete deliciosas gostosuras resolveram sair do estômbo e ir morar no tapete da Vila do Papai Noel também.


E viveram Felizes para Sempre,
são os mais sinceros votos de Lelê Mafalda
as protagonistas da história e da moça que teve que limpar tudo.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Calor do capeta.

Rio 40º graus cidade maravilha da beleza da guerra e do caos.

Na verdade não sei, eu sei que o 40º é mais que verdade.
E ele fica melhor ainda se você for pobre, se você for pobre e morar longe do trabalho é melhor ainda. Se você for pobre morar longe do trabalho e seu ônibus não tiver ar-condicionado fica o que?

Melhor ainda...

Pois sim, pense comigo que alguém muito esperto inventou o horário de verão, e que nesse horário o sol fica numa posição tão deliciosamente estratégica que não importa a sua posição no ônibus, ele vai estar lá te iluminando e aquecendo. Aliás pra não mentir por completo, a única forma de se esconder dele é se o ônibus estiver tão lotado que as pessoas façam um paredão na sua frente, mas aí é uma idéia triste, né? Você vai estar se dando bem emcima de desgraça alheia.

Esses dias saí um pouco mais cedo do estágio, aonde eu costumo trabalhar em pé e no sol já pra garantir uma tarde bem "arejada", atravessei a passarela da alegria na Av.Brasil, uma passarela de concreto que balança, vidinha emocionante- esperei paciente mente-mente o ônibus chegar com o sol na minha cara, com muito otimismo, por pensar que o trajeto costuma durar 30min, e que quando eu entrasse no ônibus o movimento dele faria entrar vento pela janela em mim.

NHAM

Fiquei lá com meus pensamentos e esperanças de gente pobre, quando finalmente meu esperado ônibus chegou, VAZIO! Com muitos lugares para serem escolhidos, uhuuu \o/

Fui lá, sentei num lugar com uma janela bem abertona e com o sol na minha cara, claro....esperei que o moço acelerasse pro vento começar a circular dentro do monstrinho, e?

Quem adivinhar o que aconteceu ganha um doce.

Peguei um engarrafamento de 2h.



2h
No sol
2h
Sem vento.
2h
No ônibus
2h
ônibus que não andava.
2h
no engarraframento
2h
sol de 40º
2h

Vocês não vão considerar pecado se eu disser que tive vontade de morrer, vão?

Eu queria morreeeeeeeeeeeeeeeer.

Não morri, o calor continua forte e eu continuo pobre.
Ser rica seria muito bom, mas um ônibus com ar-condicionado já faria bastante diferença na minha vida.